28 de fev de 2012

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL
SEÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO


NOTA PÚBLICA SOBRE A MORTE DA ADVOGADAISABEL CRISTINA SANTOS MACHADO

A Ordemdos Advogados do Brasil e a Comissão de Igualdade Racial ( CIR/OAB-RJ), sesensibilizam com a morte da Advogada Isabel Cristina Santos Machado,assassinada dentro de sua casa, dia 17/02, Sexta-Feira, em Cabo Frio , Rio deJaneiro .

A Dra. Isabel Cristina Santos Machado, que sempre se orgulhou de carregar amarca de guerreira Advogada -mulher - negra como prova em seu misterprofissional, sendo um exemplo do cumprimento de seu papel e função social,prerrogativa concedida pela Constituição Federal à Administração da Justiça, nadefesa de seus assistidos e também membro do movimento negro .

Esse crime não intimidará a atuação do Estado brasileiro e de toda a sociedadeno combate ao crime organizado no país e ao combate sistemático da violênciacontra a mulher e ao racismo em nosso país. Trata-se de mais uma afronta aoEstado Democrático de Direito e mais um ataque a defensores de Direitos Humanosno Brasil. A Ordem dos Advogados do Brasil e a Comissão de Igualdade Racial (CIR/OAB-RJ), não medirão esforços para fazer cessar práticas desumanas deexecução sumária daqueles que se dedicam à defesa dos Direitos Humanos e zelarápara que situações como esta sejam investigadas de forma célere e efetiva ...Que os assassinos sejam severamente punidos com o rigor da Lei !

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Estado do Rio de Janeiro e a Comissãode Igualdade Racial, na pessoa dos amigos e membros consternados, repudia talbarbárie , se solidariza, com seus familiares enlutados .


Rio de Janeiro, 23 de Fevereiro de 2012.

                                  WADIHNEMER DAMOUS FILHO
Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção do Estado do Rio de Janeiro

MARCELO DIAS
Presidente daComissão de Igualdade Racial – Seção do Estado do Rio de Janeiro

21 de fev de 2012

A investigação do assassinato da Advogada ISABEL CRISTINA (CIR OAB RJ) em Cabo Frio


Foi com surpresa, e através da lista de "discriminação racial", que recebi o aviso emocionado de Marcelo Dias, Presidente da CIR OAB RJ, sobre o assassinato da advogada Isabel Cristina, criminalista e membro da Comissão de Igualdade Racial daquela seccional da OAB. Sem muitos detalhes, as primeiras informações davam conta apenas do homicídio, com características de execução sumária, com cinco tiros, em sua casa, em Cabo Frio. Baseado em experiências anteriores, além de lamentar o episódio, fiz a exortação a que a Comissão, e na verdade a própria OAB RJ, através do Presidente da Seccional, Wadih Damous, bem como autoridades da Secretaria de Segurança Pública do Rio, pudessem dar atenção ao episódio, que aliás não é raro no Rio de Janeiro.

Considerei imprescindível o envolvimento do CEDINE, Conselho dos Negros do Estado do Rio de Janeiro, através da figura de seu presidente, o Paulão, comprovadamente bem próximo ao Governador Sergio Cabral, bem como de Marcelo Dias, que além de presidente da CIR OAB RJ, desfruta da experiência de ex-parlamentar, por dois mandatos na ALERJ. É importante ainda, a cobertura de veículos de informação da midia negra, a chamada "midia étnica" que outrora estiveram cuidando de tais temas, ao invés de se dedicar a campanhas que considero golpistas em referencia a Ministra Luiza Bairros, da Igualdade Racial.

Na pesquisa que fiz, encontrei vários orgãos de imprensa dando destaque ao assunto, e foi através de um desses, o RJ INTER TV 2a. edição , ( http://in360.globo.com/rj/noticias.php?id=24299 ), que fiquei sabendo detalhes e vendo inclusive o vídeo da casa de Isabel, que foi invadida por dois homens, de moto, que lhe desferiram 5 tiros, poupando seu companheiro. No vídeo pode-se ver a própria casa de Izabel, que foi invadida.

Izabel NÃO era a Presidente da Sub-seção da OAB de Cabo Frio, como equivocadamente vem sendo asseverado e reproduzido, que é presidida pelo advogado Eisenhower Dias Mariano, como facilmente se verifica no site da OAB Cabo Frio. Izabel presidia a Comissão local da Igualdade Racial, da Sub-seção de Cabo Frio, em substituição a advogada Margareth Ferreira. Pode-se verificar o site da OAB de Cabo Frio tais informações. Margareth, aliás, solicitou apoio através da mesma lista "Discriminação Racial", alertando que "se não houver pressão social, vai cair no esquecimento e a família vai ficar sozinha na luta".

Paulão, do CEDINE, prontamente atendeu nossa solicitação. Marcelo Dias já esta em Cabo Frio, e se reúne com o Presidente da OAB Sub-seção de Cabo Frio, e com o Delegado da 126a. DP. Outros já se manifestaram, de igual ou diferente modo, todos sensíveis à perda de vida de uma jovem advogada, ligada à questão racial. Entrei em contato com a Presidente da Comissão Nacional da Igualdade, do Conselheiro Federal da OAB, da qual participo como membro, Conselheira Federal Silvia Cerqueira.

O crime pelas notícias chegadas a público, até o momento, tem todas as características de execução sumária. As suspeitas de sempre são crime praticado por milícia, vingança, ou a mando de dentro da cadeia, já que Izabel era advogada criminal. Não se falou ainda em eventual causa racial no episódio, mas não me furto em lembrar que a região já foi objeto de denúncia da presença de neo-nazistas na região, seguidores da Banda ËND STUFF, na cidade de Macaé, conforme denúncia realizada em 2009, pelo PSTU na Assembléia Legislativa RJ. . Ver aqui. São detalhes que a investigação policial poderá esclarecer.

Outro caso que vem a memória, é o assassinato de Jonas, o cliente negro assassinado pelo segurança do banco Itaú, no centro do Rio de Janeiro, em 2006, episódio que participei ativamente, juntamente com outros ativistas e militantes, em especial integrantes do Sindicato dos Bancários e movimento negro. Jonas levou um tiro no coração, na porta da agencia e por essa mesma lista de Discriminação Racial,, iniciamos um protesto que paralisou a agencia Nilo Peçanha do Itaú. As reuniões semanais começaram cheias e com amplo número de pessoas e entidades, mas aos poucos, foram minguando e minguando. Jonas virou filme, no curta "Jonas, só mais um" de Caio Blat . Ver aqui e aqui

É porisso que chamo atenção para que não se fique apenas na posição do emails indignados, enraivecidos e extremados, que com justeza, apresentam tais sentimentos pelos quais são tomados companheiros e colegas da vítima, mas que, se não se der um passo além disso, resumem-se apenas a isso: emails indignados, que com a sucessão de casos trágicos, logo são esquecidos.

É preciso que tenhamos ação concatenada, articulada, de curto, médio e longo prazo. Acredito que elas estão se estabelecendo. Não só por Isabel Cristina, mas por todos nós.


Humberto Adami
humbertoadami@gmail.com

Advogado e Mestre em Direito.
Diretor de assuntos étnicos do IARA- Instituto de Advocacia Racial e Ambiental.
Diretor da FENADV - Federação Nacional dos Advogados
Conselheiro da Unipalmares - Universidade Zumbi dos Palmares
Ex-presidente da Comissão de Direito Ambiental da OAB RJ; do IARA - Instituto de Advocacia Racial e Ambiental; da ABAA - Associação Brasileira dos Advogados Ambientalistas; ex-Diretor da ASABB Associação dos Advogados do Banco do Brasil; do Sindicato dos Advogados do Rio de Janeiro; ex Ouvidor da SEPPIR - Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, da Presidencia da República. Membro da Comissão Nacional de Igualdade, do Conselho Federal da Ordem dos Advogados.


FONTE: Blog do Humberto Adami *
* pede-se reproduzir os links insertos no texto
 
http://humbertoadami.blogspot.com/2012/02/investigacao-do-assassinato-da-advogada.html

19 de fev de 2012

Assassinada - Membro da Comissão da Igualdade RACIAL -OAB - RJ

"Violência praticada contra a mulher negra, advogada, e Militante do Moviemento Negro e Companheira de luta."

 Membro da Comissão da Igualdade Racial da OAB - Cabo Frio - Rio de Janeiro





DRª. ISABEL CRISTINA, ADVOGADA,
NOSSA AMIGA E IRMÃ DA COMISSÃO DA IGUALDADE RACIAL
DA OAB-RJ.
 
 POR QUE??????????

     




Advogada é morta a tiros em Cabo Frio, no RJ, diz PM
Mulher foi morta em casa, na frente do namorado.
Suspeitos estavam em um carro e conseguiram fugir.
Do G1 RJ

1 comentário
Uma advogada foi morta a tiros na tarde desta sexta-feira (17), dentro de casa, no bairro Guarani, em Cabo Frio,na Região dos Lagos. As informações são do 25º BPM (Cabo Frio).
Segundo a PM, a vítima estava em casa com o namorado. Dois homens em um carro entraram na residência e atiraram contra a mulher, na frente do companheiro, que não ficou ferido. A dupla fugiu em seguida.
Ainda de acordo com o 25º BPM, a polícia ainda não tem informações sobre o paradeiro dos suspeitos.


http://www.voluvia.com/?p=74164

Advogada criminalista é assassinada a tiros dentro de casa em Cabo Frio

Anúncios Shopping UOL
ADD COMMENT
Isabel Cristina Machado, de 44 anos, estava em casa com o namorado quando foi surpreendida por dois homens armados.
Uma advogada criminalista foi morta a tiros, dentro de casa, na tarde desta sexta-feira (19) em Cabo Frio. O crime foi no bairro Guarani.
Isabel Cristina Machado, de 44 anos, estava em casa com o namorado quando foi surpreendida por dois homens armados. Os bandidos encontraram o portão do quintal aberto, entraram e obrigaram o casal a sentar no sofá da sala. A vítima foi executada ao lado do companheiro, que não ficou ferido.
Segundo os vizinhos, cinco tiros foram disparados. Isabel morreu na hora e os dois homens fugiram. A perícia esteve no local, mas ainda não há pistas dos bandidos.
Most Popular -


Aos companheiros e companheiras da CIR OAB/RJ e do Movimento Negro do Rio de Janeiro

Como militante do Movimento Negro do Rio de Janeiro, Membro Colaborador da CIR OAB/RJ, Consultor de Segurança Publica do COMDEDINE, Membro da Câmara Técnica, como representante da Secretaria de Segurança Pública/PCERJ, Diretor Executivo do CEPERJ,  entendo que neste difícil momento de consternação e dor em razão deste covarde, violento e prematuro desaparecimento da advogada Dra. Isabel , nossa colega da CIR OAB, de Cabo Frio/RJ, devemos sim externar toda a nossa indignação através das mensagens postadas em todas as redes de relacionamentos. É preciso inicialmente divulgar esta ação violenta praticada contra a mulher negra, advogada, militante do movimento negro e companheira de luta. A luta tem inicialmente nestas nossas mensagens de solidariedade e indignação. O fato criminoso registrado na 126ªDP/ Cabo Frio, inicialmente tem como responsável a autoridade policial daquela unidade de polícia judiciária. Contudo, considerando-se a importância do caso a ser apurado, pode a Chefe da Polícia Civil, Dra. Martha Rocha, avocar o inquérito policial para o seu gabinete e designar a Delegacia de Homícidios, delegacia especializada e hoje, o órgão da PCERJ de mais resultados positivos na apuração de homicídios no Rio de Janeiro, para proceder as investigações, assim como foi feito quando da morte da juíza em São Gonçalo. Nós podemos hoje, juntamente com o companheiro Marcelo Dias, Superintendente da SUPIR, Paulo Roberto presidente do CEDINE, Profª Dulce Vasconcelos, presidente do COMDEDINE, e um representante da CIR OAB/RJ, agendar reunião com  a Dra. Martha Rocha para este fim.

Na condição de representante da Secretaria de Estado da Segurança Pública, junto à Câmara Técnica para a implantação do Plano Estadual de Promoção da Igualdade Racial, na SEAS-DH, com a SUPIR e o CEDINE, coloco-me a disposição para tratar de todas as questões relacionadas com as providências e ações de polícia judiciária. Desde de logo, imediatamente estaremos providenciando junto à Chefia da Polícia Civil, que tenhamos acesso aos procedimentos de polícia judiciaria que estão sendo e/ou foram realizados até o momento pela autoridade policial da 126ªDP/Cabo Frio.

Entendo ainda que o momento é de união e luta, para esclarecimento das circunstâncias e os fatos que deram origem a esta ação violenta e covarde praticada contra a Dra. Isabel. É preciso que o fato seja realmente esclarecido, apurado e que seus autores, executores, partícipes e mentores intelectuais sejam indiciados e respondam criminalmente por suas ações no Tribunal do Júri.

Em respeito à memória desta mulher negra, advogada, guerreira e militante do movimento negro Dra. Isabel, sugiro aos companheiros e companheiras da CIR OAB/ Cabo Frio, CIR OAB/ RJ, SUPIR, CEDINE, COMDEDINE, CEPERJ, COJIRA, IARA e demais entidades do Movimento Negro, que estas providências sejam tomadas imediatamente, Não há necessidade de esperar terminar o carnaval. Devemos começar JÁ! Quem pode participar deste mutirão? Quem pode contribuir de alguma forma para o êxito de nossas pretensões O momento é união e luta do Movimento Negro e todas as CIR OAB do Estado do Rio de Janeiro.

Solicito àqueles companheiros e companheiras que estejam de acordo com o nosso entendimento que informem e-mail e telefones para contado. Precisamos urgentemente indicar um local para esta primeira reunião.
Vamos à LUTA!

José dos Santos Oliveira
Diretor Executivo do CEPERJ
Membro Colaborador da CIR OAB/RJ
Consultor do COMDEDINE
Representante da SESEG/PCERJ
junto à Câmara Técnica do PEPIR



Prezad@s companheir@s, pela promoção da igualdade racial,

Primeiramente, os nossos mais caros sentimentos aos familiares e companheir@s da CIR/OAB/RJ da saudosa companheira de luta Dra Isabel Cristina Machado.

Ato contínuo, nos perfilamos com os nossos combativos Drs Adami e Oliveira, nessa exortação acertadíssima e comprometida com a elucidação de tão horrenda e, até agora, gratuita e inexplicável, BRUTALIDADE, colocando-nos a disposição do Presidente MDias para, junto aos órgaos afins do estado, agirmos rapidamente antes que o carnaval desloque o rumo dessa nossa prioridade nesse momento de incontida dor que, somente, os mais próximos, verdadeiramente, sentem. Mas não estamos ilesos de tamanha monstruosidade. Poderia ser outro de nós.

Neste sentido, estamos copiando, em oculto, a Chefe de polícia, Dra Marta Rocha, para junto a 126ª e 25ª DP(Cabo Frio) solicitar prioridade absoluta dessas delegacias nesse mistério que haveremos de desvendar e exemplarmente punir, sem descartarmos uma das hipóteses de execução e/ou  preconceito, ainda,  entranhado e inrrevelado em muitos atos malditos.

Aguardamos, da Dra Marta Rocha uma agenda urgentíssima, podendo ser com outro profissional de decisão e da sua confiança, se houver impossibilidade, em função das inúmeras ocorrências inerentes à época.

O CEDINE, Estará sempre à postos e junto na defesa e na promoção da nossa mais cara dignidade. Aguardamos qualquer outro esclarecimento e sugestão com ação conjunta.
Abs, pêsames e avante!!

Paulão Santos - Presidente do CEDINE


Absolutamente lamentável a perda, por assassinato, da Drª Isabel Cristina, membro da CIR da OAB, em Cabo Frio. As investigações correm por conta da 126 DP. Vamos acompanhar os desdobramentos até a identificação e prisão do (s) assassino (s).

Paulo Roberto


14 de fev de 2012

Ato contra Racismo no Shopping Higienópolis


Ato contra Racismo no Shopping Higienópolis




Eles escandalizaram o templo do racismo em São Paulo

Afrontar a elite branca e racista de São Paulo foi a estratégia de centenas de manifestantes – em maioria, negros – que, no sábado (11), saíram com bandeiras e faixas do largo Santa Cecília, subiram a avenida Higienópolis e ousaram entrar naquele que é o mais genuíno templo do racismo na cidade.
O Shopping Pátio Higienópolis foi inaugurado no dia 18 de outubro de 1999. Instalado no coração do bairro de Higienópolis, região de alto poder aquisitivo em que vive o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, é composto por mais de 245 lojas distribuídas em seis pisos.
Ano passado, o shopping foi alvo de outro ato público, o Churrascão da Gente Diferenciada, levado a cabo em protesto contra abaixo-assinado de 3 mil moradores “higienopolitanos” que pedia ao governo do Estado que não construísse ali uma estação de metrô para não atrair gente pobre – ou, como preferiram chamar, “diferenciada”.
A escolha desse shopping para um ato público dessa natureza fez todo sentido porque não há outra parte da cidade em que o racismo hipócrita e visceral que encerra seja tão evidente. Só quem conhece o local é capaz de entender. A mera visita a ele desmonta a teoria de que não existe racismo no Brasil.
No Pátio Higienópolis, a sensação que se tem é a de estar em algum país nórdico. Só o que lembra que se está no Brasil são os empregados negros ou mestiços, tais como faxineiros, seguranças e alguns poucos funcionários das lojas. A clientela do shopping é quase que exclusivamente branca.
A manifestação foi convocada pelo “Comitê Contra o Genocídio da Juventude Negra” e protestou contra a reintegração de posse do bairro Pinheirinho, em São José dos Campos, contra a ação truculenta da PM na Cracolândia e contra o caso de uma funcionária negra da escola Anhembi Morumbi que alega que a direção a pressionou a alisar os cabelos.
Em um momento solene e apoteótico da manifestação dentro do shopping um refrão cheio de simbolismo, extraído do poema “Negro Homem, negra poesia”, de José Carlos Limeira, 56, um dos autores baianos de maior destaque na comunidade negra, foi entoado por centenas de vozes, para horror daquela elite perplexa.




Por menos que conte a história

Não te esqueço meu povo

Se Palmares não existe mais

Faremos Palmares de novo



Ver um pequeno exército de negros altivos entoando palavras de ordem enquanto enveredavam por um local em que são raros de se ver e, quando aparecem, estão sempre cabisbaixos e servis, escandalizou e intimidou a clientela habitual. Lojas fechavam as portas e madames debandavam, esbaforidas, rumo ao estacionamento.
A Folha de São Paulo colheu depoimentos das indignadas madames habitués do shopping sobre a “invasão” de sua praia. Suas declarações revelam toda a burrice do racismo.
Fiquei com medo que saqueassem a loja, podia ter tiros, morte. São uns vândalos, vagabundos
Achei ridículo esse negócio de racismo. Onde é que está? Veja a quantidade de seguranças e empregados negros
Dois depoimentos, duas provas incontestáveis de racismo e burrice. Será que se fosse uma manifestação de estudantes branquinhos da USP haveria medo de saques, tiros e mortes? Será que o fato de só haver funcionários negros, mas não consumidores, não prova o racismo e a desigualdade racial que infecta a sociedade?
Esse é só mais um dos capítulos da guerra contra o racismo e o higienismo racial e social do governo e de parte da sociedade de São Paulo. Foi travada onde deveria, em Higienópolis (bairro cujo nome não poderia ser mais apropriado). E, desta vez, as forças da igualdade racial e social venceram.

Veja, abaixo, vídeos da manifestação.






4 de fev de 2012

Yemanjá ilumina o Rio de Janeiro


Yemanjá ilumina o Rio de Janeiro


Estrela de Oyá


Foi um momento feliz para o Rio e Janeiro, no dia de Yemanjá, 2 de fevereiro de 2012.
O Afoxé Estrela de Oya, em sua sede na Lapa, depois de um ato ecumênico  com representantes de várias religiões,  seguiu para a Cinelândia onde se encontrou com o tradicional Filhos de Gandhi do Rio de Janeiro,


Congraçados, os Afoxés Filhos de Gandhi e Estrela de Oyá,  juntaram-se na Cinelândia acompanhos dos representantes de várias religiões e membros da sociedade laica e civil,  homenagearam  as vítimas do Edifício Liberdade e dos outros tres prédios que cairam. Seguiram em caminha para embarcarem na barca Boa Viagem, cedida tradicionalemente pelas Barcas S.A, aos grupos oranizadores dos festejos, que levaram  seus presentes à Rainha do Mar, Yemanjá. Ela respondeu rodando suas ondas e formando uma estrela da paz.


Paz e compreensão que todos nós, do Rio, do Brasil e do mundo precisamos. Asé da Mamaterra!


3 de fev de 2012

Lançado em São João de Meriti, RJ, o projeto de construção do “PLANO ESTADUAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL”






Rio de Janeiro

Marcelos Dias - Supir - é Militante do MNU/RJ

    Foi dado ontem a pedra de toque na discussão para a elaboração de plano para um Estado do Rio sem racismo. A meta que não é pequena, será fomentar a discussão e implantação do “Plano Estadual para Promoção da Igualdade Racial nos municípios do Estado do Rio de Janeiro”. Seu público alvo serão os Gestores Municipais; Conselheiros de Direitos do Negro Municipais e afins; Vereadores; Lideranças dos Quilombolas e Organizações Não Governamentais.

   As discussões planejadas para acontecerem de janeiro a maio de 2012,  serão  coordenadas  pela Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, através da superintendência de Promoção da Igualdade Racial – SUPIR.

   Segundo o superintendente da SUPIR, o advogado Marcelo Dias, a escolha de São João de Meriti foi justificada, pois segundo as sua palavras "São João de Meriti" é o município exemplo no Brasil na aplicação das leis que tornam obrigatório nos estabelecimentos de ensino fundamental e de ensino médio, públicos e privados o estudo da história e cultura afro-brasileira e indígena.”
Ainda segundo o superintendente, “estas discussões regionais que irão acontecer, tem como objetivo cumprir o decreto do governo estadula de  n°43.297 de 16 de novembro de 2011 que “INSTITUI A CÂMARA TÉCNICA PARA REVISÃO E IMPLANTAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DE PROMOÇÃO DE IGUALDADE RACIAL”.

   Neste decreto que foi publicado no Diário Oficial do dia 17 de novembro de 2011 foi formada uma Câmara Técnica com 28 membros representantes da Sociedade Civil, Universidades Públicas,  Assembléia Legislativa e de órgãos da administração pública estadual. Estes membros formarão sub comissões temáticas que delinearão, consultando a legislação aprovada e adotada bem como o referencial discutido e aprovado nas Conferencias Estaduais da Promoção da Igualdade Racial, os principais eixos temáticos que constituirão o Plano Estadual de Promoção de Igualdade Racial.

Terra que o Almirante Negro, João Cândido, escolheu para viver e criar seus filhos e netos, São João de Meriti é o primeiro município brasileiro a ensinar história dos negros e dos indígenas em todas as suas escolas municipais. Mamapress esteve lá e confirma!